Quando o colégio propõe uma reorganização de turmas está exercendo seu papel de expandir o horizonte social dos alunos

artigo de Mônica Polonio – orientadora educacional

Início de ano letivo é sempre um momento muito aguardado pelos alunos e pelas famílias. Muitas vezes este momento é acompanhado da reorganização de turmas. Por um lado, o assunto gera ansiedade e dúvidas por outro lado traz o sabor agradável da novidade.

Quando o colégio propõe uma reorganização de turmas está exercendo seu papel de expandir o horizonte social dos alunos, tornando-os aptos a verem-se como “ cidadãos do mundo”, capazes de participar e cooperar com os demais. A escola é o ambiente em que jovens e crianças podem estabelecer relações de coleguismo solidárias e respeitosas. Segundo a especialista em psicologia da educação, Suzana Menin as relações sociais são um dos aspectos formadores da moral e a convivência no “grupo de iguais” é um dos melhores espaços para a construção da moralidade

Experimentar um novo grupo possibilita aos alunos buscar novas identificações na constituição de sua personalidade, quanto mais variadas forem as experiências de socialização das crianças e dos jovens, mais eles estarão preparados para lidar com a diversidade.

A vivência de mudanças e transformações é importante para a vida futura de nossos alunos. Só assim eles poderão lidar com as mudanças que ocorrem naturalmente ao longo da vida, com a flexibilidade necessária para lidar com os conflitos que surgirem.

Contudo é importante também mantermos laços afetivos significativos e saudáveis, que propiciam a crianças e jovens o apoio necessário nesta nova etapa de crescimento. A reorganização de turma privilegia esses aspectos: favorecer a convivência com a diversidade e a formação de vínculos afetivos e aprofundar a integração ao longo da escolaridade.

Cabe à escola, no momento de planejamento do ano que iniciará, proporcionar atividades de sondagem com os alunos acerca dos relacionamentos para que os educadores do colégio organizem grupos que possam se constituir em um ambiente propício ao processo de ensino-aprendizagem.

O apoio da família e a confiança de que seus filhos são capazes de avançar no processo de conquistas sociais é fundamental para o sucesso desta etapa.