De modo geral, três elementos caracterizam um colégio da Companhia de Jesus: a tradição, a busca pelo magis (o mais) e o diálogo com os desafios de cada tempo.

Por Prof.ª Sônia Magalhães, Diretora-Geral e Acadêmica do Colégio São Luís

As escolas jesuítas carregam consigo uma mística que remete a 1540, ano em que, à luz da experiência espiritual de Santo Inácio de Loyola, a Companhia de Jesus assumiu o apostolado da educação. A partir de 1548, com a fundação da primeira escola em Messina, na Sicília, começou a ser construída uma tradição educativa jesuítica que perdura até os dias de hoje. Ser uma escola da Companhia de Jesus, portanto, significa ser parte de uma herança cultural, religiosa e, principalmente, educacional, que tem como objetivo fundamental propiciar o desenvolvimento humano e espiritual de crianças e jovens em todo o mundo.

“Em uma escola jesuíta, a excelência é aplicada a todas as áreas da vida escolar”

Sônia Magalhães, Diretora-Geral e Acadêmica do CSL

Em um colégio jesuíta, o espaço da educação escolar permite um diálogo permanente com os valores do Evangelho e da fé, não por meio (somente) das aulas de Ensino Religioso, mas pela promoção da convivência diária entre pessoas de diversas gerações, origens e crenças. Esse exercício inspira um modo de conviver muito próximo dos valores evangélicos, tais como solidariedade, justiça e paz. A escola não é vista apenas como uma casa de instrução, mas como um espaço de educação, um microcosmo onde se ensaia a convivência em sociedade.

O segundo elemento que nos define como escola jesuíta é a busca pelo magis, ou seja, o mais e o melhor serviço. Nosso compromisso é oferecer o maior valor em todos os nossos fazeres, o que, naturalmente, inclui um serviço de educação e de ação formativa de alta qualidade.

Em uma escola jesuíta, a excelência é aplicada a todas as áreas da vida escolar. A busca da excelência acadêmica, no entanto, só tem sentido dentro de um contexto mais amplo de excelência humana, que abrange todas as áreas da vida do aluno. “Educar nas virtudes e nas letras” é um binômio que está na raiz fundacional da Companhia de Jesus.

Ilustracao_15Outra característica tradicional de um centro educativo da Companhia é o permanente diálogo com o contexto no qual está inserido, respondendo aos desafios de cada tempo, lugar e cultura de maneira eficaz. A busca pela inovação é algo habitual da Companhia, desde que pautada pela intencionalidade: todas as ações, pedagógicas ou não, promovidas em um colégio jesuíta têm razões e objetivos muito claros. Não há, portanto, espaço para a imitação ou para a repetição de práticas com o intuito de simular supostos avanços.

Desde a transferência da sede de Itu para São Paulo, em 1918, passando pela construção do edifício São Luís Gonzaga, em 1970, e pela divulgação do Projeto Educativo Comum (PEC) da Rede Jesuíta de Educação – RJE, em 2016, a história do Colégio São Luís e da rede educativa da qual faz parte vem seguindo um movimento constante de renovação. O anúncio do Projeto CSL 2020, em março de 2018, dá início a um novo ciclo de transformações que já estão em curso e que atingirão seu ápice no início da próxima década. Com a construção de uma nova sede para o Colégio, necessária para a realização plena dessa renovação, a Companhia de Jesus demonstra, mais uma vez, estar alinhada à evolução dos tempos.

Somos, acima de tudo, um colégio com uma missão: desenvolver todas as dimensões da pessoa e formar cidadãos competentes, conscientes, compassivos e comprometidos na compaixão, fazendo da escola um espaço no qual a transmissão da cultura não se restringe à informação acumulada nos diferentes campos do conhecimento.

*Essa matéria foi publicada na 32ª Edição da Revista Pilotis (2019), publicação interna do Colégio São Luís. Quer ler a edição completa? Acesse o Issuu para ler on-line ou o site do CSL para solicitar a edição impressa.