Eventos do Noturno discutem questões de gênero e de justiça social

Visando uma experiência de fé e justiça, pressupostos essenciais da tradição jesuítica, as aulas de religião do Ensino Médio Noturno abordam temas de Direitos Humanos. Neste contexto, foi organizado um evento especial sobre o assunto, iniciado por uma confraternização musical dos alunos no ginásio, em que eles cantaram músicas que falam de liberdade, igualdade racial e direitos das crianças.

Na segunda parte do evento, cada série foi direcionada para uma das três palestras. No teatro, falou o advogado Fermino Fechio, integrante da Comissão da Memória e da Verdade da prefeitura de São Paulo e com uma longa trajetória de trabalho em defesa dos Direitos Humanos. Na sala da Humanística, a pauta da diversidade foi trazida pelo ex-aluno João Marcon, que foi vítima de agressões homofóbicas na rua, e por uma ativista transexual, Magô Tonhon. Por sua vez, na Sala São Luís, quem teve a palavra foi Helio da Silva, conhecido como “plantador de árvores”. Seu depoimento deu-se na perspectiva de cuidado socioambiental, tema que está na Campanha da Fraternidade de 2016.

Afetividade e sexualidade

Outro projeto que trabalhou questões de respeito à diferença e autoconhecimento foi o “Afetividade e Sexualidade”, que, em seu segundo encontro, tratou de diversidade sexual e de gênero e contou com a presença dos mestres Gibran Teixeira e Letizia Patriarca, pesquisadores da USP no NUMAS – Núcleo de Marcadores Sociais da Diferença.

Na palestra que abriu o fórum, os médicos de família Bruna Santos Silveira e Renan Cantarelli falaram sobre saúde e valorização do corpo, com alertas em relação a doenças sexualmente transmissíveis, gravidez na adolescência, uso de métodos contraceptivos, entre outros temas sobre os quais os alunos tinham dúvidas.