Fernão Cardim

Naturalista e jesuíta português.

Nasceu em Vianna de Albito, em 1549.

Em 1566 ingressou na Companhia de Jesus em Évora.

Em 1583 veio para o Brasil, residindo na Bahia (Ilhéus e Porto Seguro), em Pernambuco, no Espírito Santo, no Rio de Janeiro e em São Paulo (Santos, São Vicente e Piratininga).

Foi provincial dos colégios da Bahia e do Rio de Janeiro, onde teve como companheiro o Padre Anchieta.

Durante a invasão holandesa retirou-se para São João da Mata (MG), onde faleceu em 27 de Janeiro de 1625.

 

Escreveu as seguintes obras:

  • Do clima e terra do Brasil
  • Do princípio e origem dos índios do Brasil
  • Tratados da terra e gente do Brasil

 

“Entre os que em fins do século XVI trataram das coisas do Brasil, foi Fernão Cardim dos mais sédulos informantes, em depoimentos admiráveis, que muita luz trouxeram à compreensão do fenômeno da primeira colonização do país. Foi um dos precursores da nossa história, quando ainda o Brasil, por assim dizer, não tinha história. Sua história é antes “natural” que civil. Nele há o geógrafo,  que estuda a terra, suas divisões, seu clima, suas condições de habitabilidade. O etnógrafo, que descreve os aborígines, seus usos, costumes e cerimônias. O zoólogo e botânico, por igual aparelhado para o exame da fauna e da flora desconhecidas. Seus depoimentos são os de testemunha presencial”. (Rodolfo Garcia, p. 11-12)

 

(Fonte: RDZ,  SJ Jaime Fernández; DI VITA,  SJ Eduardo. Presença dos jesuítas no mundo científico. São Paulo: Loyola, 2004.)