Dra. Zila van der Meer Sanchez, professora da Unifesp, dá dicas para as famílias sobre o tema

A relação saudável entre pais e filhos é um dos aspectos mais importantes na prevenção do abuso de álcool e tabaco pelos adolescentes. Nesse contexto, os vínculos formados durante a primeira infância, ou seja, até os cinco anos de idade, são essenciais. “Essa é a fase em que começamos a estabelecer limites para as crianças. Então, em episódios de agressividade e comportamento socialmente inadequado é importante os pais se posicionarem, pois essas atitudes são preditores do uso ou não uso de certas substâncias na adolescência”, explicou a Dra. Zila van der Meer Sanchez, professora livre-docente do Departamento de Medicina Preventiva da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo), em palestra para os pais dos alunos do Colégio São Luís, no dia 5 de setembro.

“Conscientizar e valorizar a importância dos pais no processo de prevenção, ensinando que, realmente, eles têm uma função muito importante é essencial.”

Dra. Zila

No evento, a especialista apresentou evidências científicas sobre os padrões de consumo de drogas lícitas pelos estudantes brasileiros, os efeitos das substâncias mais consumidas entre os jovens, explicou as principais técnicas de prevenção e ressaltou a importância da família na vida do adolescente.

Segundo ela, a melhor forma de prevenir o abuso de álcool e tabaco é por meio de habilidades parentais. “Conscientizar e valorizar a importância dos pais no processo de prevenção, ensinando que, realmente, eles têm uma função muito importante é essencial. Na maior parte das vezes, as pessoas acham que a prevenção é exclusivamente externa, ou seja, que deve ser feita pela escola, pelo governo etc. e, na verdade não, esses outros atores são importantes, mas, realmente, o componente fundamental é aquele que vem de casa. O processo de prevenção é contínuo, colaborativo e majoritariamente familiar”, afirma a professora.

Dra. Zila ressalta que o monitoramento parental é um dos principais fatores de proteção contra o consumo de drogas pelo adolescente. A seguir, a especialista elenca alguns pontos de observação para pais e responsáveis:

  • Conheça os amigos e os pais dos amigos.

  • Esteja presente na vida dos filhos (Fazer uma refeição diária com os filhos, por exemplo).

  • Monitore as atividades (saiba aonde foi, com quem, a que horas volta etc.)

  • Sempre que possível, leve e busque seu filho nos compromissos dele.

  • Estabeleça regras claras de conduta (o que pode e o que não pode).

  • Mostre-se disposto a conversar e apoiar seu filho em diferentes situações.

  • Pratique exercícios físicos, alimente-se bem, seja exemplo para seu filho.

  • Ajude o seu filho a planejar o futuro, ter perspectivas, o mundo não acaba na adolescência.

  • Fique atento ao desempenho escolar. Caso as notas comecem a cair, acione o alerta.

  • Atente-se a mudanças repentinas na rotina que se tornem persistentes e nocivas (dormir demais, por exemplo).

  • Verifique mudanças no círculo de amigos.

  • Fique atento se o adolescente quer estar apenas com os amigos, ao invés de fazer outras atividades, como esportes, estar com a família etc.

  • Veja se há alterações abruptas de humor, sem justificativas.

Algumas dessas mudanças comportamentais podem refletir a transição da adolescência normal. Quando se tornarem persistentes e nocivas, devem ser um sinal de alerta.