Professoras da casa apresentam dois trabalhos em importante evento de educação

Em sua oitava edição, o Congresso ICLOC apresentou 164 sessões de debates sobre práticas na sala de aula, duas delas com a participação de professoras do Colégio São Luís. O evento, que é uma iniciativa do Instituto Cultural Lourenço Castanho e tem a duração de três dias, redundou numa apostila com cerca de 650 práticas docentes, contribuindo para suprir o que o instituto entende como a principal falha na formação dos professores brasileiros: saber como dar aula.

A professora Évila Damasceno, de Inglês, compartilhou a experiência de seus alunos de 7º ano que, valendo-se do software Hot Potatoe, produziram sozinhos atividades interativas para a revisão de conteúdos de inglês. Foram criadas cruzadinhas, exercícios de preenchimento de lacunas, quizzes e atividades de relacionar colunas. “Os alunos dominaram a ferramenta rapidamente e tiveram de ficar atentos aos erros frequentes para fazer a programação do jogo”, conta Évila.

Também professora da 7ª série, mas de Português, Fernanda Franco apresentou no congresso um projeto que tinha mais um ponto em comum com o de Évila: utilizava-se da tecnologia como ferramenta educacional. Após escolherem entre doze obras bastante conhecidas (os clássicos Odisseia e A Volta ao Mundo em 80 Dias estavam na lista), os estudantes recontaram as histórias assumindo a personalidade de um personagem. Realizaram o exercício pelo fórum do Moodle. Assim, a conversa aconteceu no tempo presente. “Os alunos curtiram muito a atividade e foram muito criativos na busca de fotos, GIFs, mapas e outros links que complementavam seus posts”, comenta Fernanda.