Aprendendo com SP

colegio_sao_luis_saida_pedagogica_9_ano_

Nosso novo bairro

Estamos em um novo endereço na cidade de São Paulo: o bairro Vila Mariana, cercados de grandes vizinhos, que oferecem atividades educativas, culturais e de lazer. Reunimos aqui informações sobre a região, em grande parte de locais públicos, com entrada franca e possíveis de serem alcançados com uma curta caminhada. Divulgamos também outras dicas culturais na cidade, indicadas por nossos educadores a toda a nossa comunidade. Que possamos conhecer e aprender com o nosso entorno e com a cidade!

Nossos vizinhos

Por meio do Projeto da Boa Vizinhança, visitamos nossos vizinhos para realizarmos atividades em conjunto ao longo do ano letivo. Sempre que tivermos uma nova programação especial, divulgaremos a toda comunidade educativa.

Auditório do Ibirapuera


É um edifício concebido por Oscar Niemeyer para apresentações de espetáculos musicais, situado no Parque do Ibirapuera. Além da programação de espetáculos, é a sede da “Escola do Auditório”, que oferece curso livre de música brasileira, com duração de cinco anos, a até 170 estudantes (a partir de 12 anos de idade) da rede pública de ensino que residam no município de São Paulo. O objetivo é proporcionar uma sólida formação na área da música popular, unindo teoria e prática. Os alunos realizam apresentações em diversos grupos da Escola – como a Orquestra Furiosa do Auditório (Furiosa), a Orquestra Brasileira do Auditório (OBA), o Coro da Escola do Auditório e a Obinha.

Fechado à visitação fora dos horários de eventos. Entrada paga com preços populares. Av. Pedro Álvares Cabral, Parque Ibirapuera, Portão 2.

Cinemateca Brasileira


É a instituição responsável pela preservação e difusão da produção audiovisual brasileira. Tem o maior acervo da América do Sul, formado por cerca de 250 mil rolos de filmes e mais de um milhão de documentos relacionados ao cinema, como fotos, roteiros, cartazes e livros, entre outros. Sua base de dados oferece a possibilidade de acesso online através do site da Cinemateca Brasileira. Os edifícios foram reformados preservando-se a arquitetura original e hoje são tombados pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico do Estado de São Paulo e pelo Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental da Cidade de São Paulo. Neles estão as salas de cinema, que também abrigam mostras e festivais nacionais e internacionais de cinema, a biblioteca e um amplo jardim para piqueniques, aberto à visitação pública.

Aberta à visitação. Entrada Franca. Sessões de cinema são pagas. Largo Senador Raul Cardoso, 207, Vila Clementino.

Fundação Bienal


É a instituição encarregada de promover e organizar a Bienal Internacional de Arte de São Paulo, desde a 7.ª edição. A sede da Bienal é o Pavilhão Ciccillo Matarazzo, também conhecido como Pavilhão da Bienal. O local fez parte do projeto de comemoração do IV Centenário de São Paulo, com a inauguração do Parque do Ibirapuera e seu conjunto de edificações, que hoje formam espaços de eventos e importantes museus, como a Oca e o Museu Afro Brasil. O plano foi arquitetado por Oscar Niemeyer, em 1954. O Pavilhão da Bienal é dividido por três pavimentos e um auditório, que somam 25 mil m². Os pavimentos possuem uma das principais características de Niemeyer – as curvas, presentes em tantos outros projetos do arquiteto, como o Auditório do Ibirapuera e o Edifício Copan. A Fundação tem o “Programa Pavilhão Aberto” para visitas guiadas com palestras de convidados sobre o espaço do prédio vazio e a inteligência arquitetônica por trás dele.

2020 é ano da 34ª Bienal de São Paulo. A exposição adota uma estrutura de funcionamento inovadora, que envolve a realização de mostras e ações apresentadas no Pavilhão da Bienal a partir de fevereiro de 2020 e a articulação com uma rede de mais de 20 instituições paulistas. Quando o Pavilhão for inteiramente tomado pela mostra, a partir de setembro de 2020, essas instituições promoverão, em seus próprios espaços, exposições integrantes da 34ª Bienal. Com curadoria geral de Jacopo Crivelli Visconti e equipe curatorial composta por Paulo Miyada (curador adjunto) e Carla Zaccagnini, Francesco Stocchi e Ruth Estévez (curadores convidados), a 34ª Bienal de São Paulo é intitulada Faz escuro mas eu canto, verso do poeta amazonense Thiago de Mello (Barreirinha, 1926), e será inaugurada por mostras individuais das artistas Ximena Garrido-Lecca, Clara Ianni e Deana Lawson, além de performances de autoria de Neo Muyanga, León Ferrari e Hélio Oiticica.

Aberto à visitação. Entrada franca.

Instituto Biológico


O IB é um centro de pesquisa vinculado à Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, voltado à produção, difusão e transferência de tecnologias e conhecimento científico nas áreas de agronegócio, biossegurança e atividades correlatas.

Referência nacional na área de pesquisa agrícola, o local administra um vasto conjunto de laboratórios espalhados pelo Estado de São Paulo. Apenas em sua sede, na capital paulista, o IB abriga os Centros de Pesquisa e Desenvolvimento de Sanidade Animal, Vegetal e Proteção Ambiental, além do Museu do Instituto Biológico, do Centro de Memória e de uma biblioteca que conta com mais de 100 mil volumes em seu acervo. Também é responsável por uma série de publicações e boletins científicos e mantém sob sua guarda um importante acervo de helmintologia, bacteriologia, micoteca, herbário, entomologia e de microorganismos entomopatogênicos.

Aberto à visitação. Entrada franca. Av. Conselheiro Rodrigues Alves, 1252, Vila Mariana.

Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia


Criado em 1954, é uma Unidade Hospitalar da Administração Direta da Secretaria de Estado da Saúde, do Estado de São Paulo, sendo exclusivamente voltada ao diagnóstico e tratamento das doenças cardiovasculares. É um dos 43 paulistas categorizados como Hospitais de Ensino dos Ministério da Saúde e da Educação, e desde 1991 é Entidade Associada da Universidade de São Paulo. Contribuiu pioneiramente, em âmbito nacional e internacional, com a introdução de diversas técnicas percutâneas e cirúrgicas, algumas que mudaram a prática da Medicina Cardiovascular. Também é um ponto para Doação de Sangue, que possamos incluir essa prática em nossa rotina, afinal, é só atravessar a rua.

Para doação: segunda, terça, quinta e sexta-feira: das 8h às 13h. Av. Dr. Dante Pazzanese, 500, Vila Mariana, Edifício Michel Batlouni (próximo a entrada do ambulatório).

MAC - Museu de Arte Contemporânea da USP


Criado em 1963, o MAC-USP é um importante centro de pesquisa e de formação educacional, voltado à produção artística nacional e estrangeira. Está localizado no Ibirapuera, em um complexo arquitetônico criado nos anos 1950 pelo arquiteto Oscar Niemeyer e equipe. Possui a mais importante coleção da América Latina especializada na produção ocidental do século XX. Conta com cerca de 10 mil obras – entre óleos, desenhos, gravuras, esculturas, objetos e trabalhos conceituais – um grande patrimônio cultural com decorrências nacionais e internacionais. No acervo do MAC você encontra obras de: Amedeo Modigliani, Pablo Picasso, Joan Miró, Alexander Calder, Wassily Kandinsky, Tarsila do Amaral, Anita Malfatti, Emiliano Di Cavalcanti, Alfredo Volpi, Lygia Clark, Henry Moore, Cildo Meireles, Julio Plaza, Joseph Beuys, Leda Catunda, Rosângela Rennó, Jonathas de Andrade e vários outros artistas brasileiros e internacionais.

Aberto à visitação. Entrada franca. Av. Pedro Álvares Cabral, 1301, Vila Mariana.

MAM - Museu de Arte Moderna


O MAM de São Paulo é uma das mais importantes instituições culturais do Brasil. Localiza-se sob a marquise do Parque Ibirapuera, em um edifício inserido no conjunto arquitetônico projetado por Oscar Niemeyer, em 1954, e reformado por Lina Bo Bardi, em 1982. É uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público, sem fins lucrativos, que tem por objetivo a conservação, extroversão e ampliação de seu patrimônio artístico, a divulgação da arte moderna e contemporânea e a organização de exposições e de atividades culturais e educativas.

O museu foi fundado por Francisco Matarazzo Sobrinho, em 1948, inspirados pelo Museu de Arte Moderna de Nova Iorque (MoMA) e frutos do ambiente de grande efervescência cultural e progresso socioeconômico que caracterizou o Brasil na década de 1940. Ao longo de sua história, o MAM se notabilizou por sua ativa agenda cultural e por importantes iniciativas voltadas à sedimentação e difusão da arte moderna na sociedade brasileira, como a criação da Bienal Internacional de São Paulo.

O acervo conta hoje com mais de 5.000 peças. Mantém o Jardim de Esculturas, um espaço de 6.000 metros quadrados projetado por Roberto Burle Marx, onde são expostas obras do acervo a céu aberto. Possui uma das maiores bibliotecas especializadas em arte da cidade de São Paulo, com mais de 60.000 volumes, além de um setor de publicações próprias, responsável pela edição de catálogos e pela revista trimestral Moderno. Desde 1969 organiza a mostra bienal Panorama da Arte Atual Brasileira, uma das mais tradicionais exposições periódicas do país e importante ferramenta para a ampliação do acervo.

Aberto à visitação. Entrada paga ao público em geral, porém gratuita para alunos e colaboradores do CSL. Av. Pedro Alvares Cabral, s/nº, Parque Ibirapuera.

Museu Afro-Brasil


É um museu histórico, artístico e etnológico, voltado à pesquisa, conservação e exposição de objetos relacionados ao universo cultural dos povos de origem africana no Brasil. Localiza-se no Parque do Ibirapuera, no “Pavilhão Padre Manuel da Nóbrega” – edifício integrante do conjunto arquitetônico do parque concebido na década de 1950 pelo arquiteto Oscar Niemeyer.

Inaugurado em 2004, o Museu Afro Brasil é uma instituição pública, subordinada à Secretaria Estadual de Cultura e administrada por uma organização da sociedade civil. Conserva um acervo de aproximadamente 6 mil obras, entre pinturas, esculturas, gravuras, fotografias, documentos e peças etnológicas, de autores brasileiros e estrangeiros, produzidos entre o século XV e os dias de hoje. O acervo abarca diversas facetas dos universos culturais africano e afro-brasileiro, abordando temas como a religião, o trabalho, a arte, a diáspora africana e a escravidão, e registrando a trajetória histórica e as influências africanas na construção da sociedade brasileira.

O museu também oferece diversas atividades culturais e didáticas, exposições temporárias, conta com um teatro e uma biblioteca especializada. O Núcleo de Educação do Museu Afro-Brasil oferece ao público oficinas articuladas às visitas mediadas, às exposições de longa duração ou às exposições temporárias e têm como objetivo sensibilizar o público ou proporcionar aprofundamento de questões abordadas durante a visita, tanto no que diz respeito aos conteúdos, como às diferentes linguagens e recursos estéticos que podem ser mobilizados. As atividades podem envolver desenho, pintura, fotografia, música, dança, brincadeiras tradicionais, dentre outras linguagens artísticas.

Aberto à visitação. Entrada franca. Av. Pedro Álvares Cabral, Parque Ibirapuera, Portão 10.

Museu do Instituto Biológico


Também conhecido como “Zoológico de insetos” ou “Planeta Inseto”, o Museu mostra a importância desses organismos na vida humana, desperta o interesse dos estudantes pelo assunto e enriquece o conteúdo programático das aulas de Ciências e Biologia. A exposição retrata, de forma lúdica e interativa, os diversos aspectos sobre os insetos, sensibilizando o público para sua importância na sustentabilidade ambiental, produção de alimentos e saúde pública.

Aberto à visitação. Entrada franca. Av. Dr. Dante Pazzanese, 64, Vila Mariana.

Obelisco do Ibirapuera


O Obelisco Mausoléu aos Heróis de 32, também conhecido como Obelisco do Ibirapuera ou Obelisco de São Paulo, é um monumento funerário brasileiro que se localiza na área do Parque do Ibirapuera, símbolo da Revolução Constitucionalista de 1932. O monumento começou a ser construído em 1947, foi inaugurado no dia 9 de julho de 1955, mas a conclusão da obra foi em 1970. É um projeto do escultor ítalo-brasileiro Galileo Ugo Emendabili, é o maior monumento da cidade (com 72 metros de altura), feito em puro mármore travertino e sua execução foi confiada ao engenheiro alemão, Ulrich Edler.

Tombado pelos Conselhos Estadual e Municipal de preservação de Patrimônio Histórico (CONDEPHAAT), o mausoléu do Obelisco abriga os corpos dos estudantes mortos durante a Revolução do ano de 1932 e de outros 713 ex-combatentes. O interior do Obelisco tem forma de cruz, onde são encontrados painéis feitos com pastilhas de mosaico veneziano que representam o nascimento, o sacrifício e a ressurreição de Jesus. Na entrada do monumento, uma série de arcos recebem os visitantes diante de uma luz baixa que produz um tom um tanto sombrio. Poemas e frases do escritor Guilherme de Almeida estão distribuídas no local. Uma curiosidade é que no acervo do CSL temos cartas de autorização liberando alunos convocados para lutar na Revolução de 32.

Aberto à visitação. Entrada franca. Praça Ibrahim Nobre, s/n, Vila Mariana.

Parque do Ibirapuera


Com 158 hectares, o parque foi inaugurado em 1954. É tombado pelo Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental da Cidade de São Paulo e pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico do Estado de São Paulo. Seus jardins foram desenhados pelo paisagista Otávio Augusto Teixeira Mendes. Já as construções históricas, como os pavilhões que abrigam museus, o auditório, marquise entre outras, são de autoria de Oscar Niemeyer.

A região havia sido parte de uma aldeia indígena na época do início da colonização de origem portuguesa. Com o tempo, tornou-se uma área de chácaras e pastagens. Na década de 1920, o então prefeito da cidade idealizou a transformação daquela área em um parque semelhante aos existentes na Europa e nos Estados Unidos. O obstáculo representado pelo terreno alagadiço frustrou a ideia, até que um funcionário da prefeitura, Manuel Lopes de Oliveira, conhecido como Manequinho Lopes e apaixonado por plantas, iniciou, em 1927, o plantio de centenas de eucaliptos australianos, buscando drenar o solo e eliminar a umidade excessiva do local.

No parque há diversos atrativos para o público, desde passeios culturais e educativos, como caminhadas monitoradas, atividades de birdwatching, possuindo esculturas, museus e monumentos históricos além dos jardins e paisagens repletas de flores e árvores. Há também aparelhos de ginástica, quadras, playground, quiosques, ciclovia e planetário. Por sua riqueza verde, esportiva e cultural, em 2015 foi elencado por um colunista do jornal britânico The Guardian, como um dos “melhores parques do planeta” junto a parques como o Buttes-Chaumont de Paris, o Boboli de Florença, a High Line de Nova Iorque, o Hampstead Heath de Londres e o Parque Güell de Barcelona. Em 2017, foi o parque mais visitado da América Latina, com aproximadamente 14 milhões de visitas, além de ser um dos locais mais fotografados do mundo. Existem roteiros de caminhadas monitoradas “Descobrindo o Ibirapuera”, “Identificação de árvores do Parque Ibirapuera” e “Observação de aves” – alguns pagos outros gratuitos, saiba mais

Aberto à visitação. Entrada franca. Av. Pedro Álvares Cabral, s/n (portões 2, 3 e 10), Av. IV Centenário (portões 6 e 7A), Av. República do Líbano (portão 7).

Pavilhão Japonês


Construído pelo governo japonês e pela comunidade nipo-brasileira, o Pavilhão Japonês foi doado à cidade de São Paulo, em 1954, na comemoração do IV Centenário de sua fundação. O Pavilhão foi transportado desmontado, em navio, e reúne materiais do Japão, tais como as madeiras, pedras vulcânicas do jardim, lama de Kyoto que dá textura às paredes, entre outros. Sua construção aqui contou com imigrantes japoneses que atuaram como voluntários para auxiliar o corpo técnico vindo do Japão. Construído às margens do lago do Parque, é composto de um edifício principal suspenso, que se articula em um salão nobre e diversas salas anexas, salão de exposição, jardim, além de um belíssimo lago de carpas.

O Salão de Exposição abriga peças originais e réplicas dos “tesouros japoneses”, representando linguagens artísticas e artesanais de diferentes períodos; doadas e consignadas pelo governo do Japão, entidades, empresas e personalidades diversas. Tombado pelos órgãos municipal e estadual, o Pavilhão Japonês tem sido restaurado pela Nakashima Komuten, tradicional empresa japonesa na construção e restauração de pontes e moradias de madeira.

Aberto à visitação. Entrada paga. (R$ 10 adulto / R$ 5 criança). Av. Pedro Álvares Cabral, s/nº, Parque do Ibirapuera, Portão 10.

Sesc Vila Mariana


A poucas quadras do CSL está a unidade Vila Mariana do SESC, com uma intensa programação de exposições, shows, peças teatrais, dança, cursos e workshops. Colaboradores do CSL têm credencial plena, veja como renovar a sua carteirinha de usuário.

Aberto à visitação. Atividades gratuitas e com preços populares. Rua Pelotas, 141, Vila Mariana.

Viveiro Manequinho Lopes


É um viveiro municipal histórico, aberto a visitação nos dias de semana, dentro do Parque Ibirapuera. Produz mudas de plantas destinadas aos plantios das áreas públicas da cidade, além de pesquisa e experimentação para aprimorar a produção de plantas. Em seus 4,8 ha no Parque Ibirapuera, possui coleções vivas de espécies vegetais com um rico acervo de 200 espécies diferentes de plantas com potencial paisagístico e à disposição dos visitantes. São 10 estufas, 97 estufins (canteiros suspensos), 3 telados, 39 quadras de matrizes e de estoque de mudas envasadas, prontas para o fornecimento aos órgãos públicos municipais. Passou por uma restauração em 1993 e ganhou um novo projeto em 1994, por Burle Marx, valorizando o verde do local.

Aberto à visitação. Entrada franca. Av. Pedro Álvares Cabral, Parque Ibirapuera, Portão 7A.

Dicas culturais

Confira outras programações culturais na cidade de São Paulo, recomendadas por nossos educadores à comunidade educativa do CSL.
dica_cultural_espetaculo_domquixote

Espetáculo infanto-juvenil “Dom Quixote”
Uma peça para toda família (classificação indicativa 6 anos), inspirada na obra de Miguel de Cervantes, um clássico conhecido por muitos.
Quando: 7 de março a 4 de abril, sempre aos sábados, às 11h.
Onde: Sesc Consolação (Teatro Anchieta)
Ingressos: Podem ser comprados antecipadamente em qualquer unidade do Sesc.

dica_cultural_exposicao_egito

Egito Antigo: Do Cotidiano À Eternidade
Exposição inédita sobre o Egito Antigo, considerado uma das mais importantes civilizações da história da humanidade. Por meio de um amplo panorama sobre o cotidiano, a religiosidade e os costumes, a seleção de obras reúne esculturas, pinturas, objetos, sarcófagos e uma múmia, vindos do Museu Egípcio de Turim, segundo maior acervo egípcio do mundo, além de instalações cenográficas e interativas.
Quando: até 11 de maio, quartas a segundas, 9h às 21h.
Onde: CCBB SP, Rua Álvares Penteado, 112, Centro.
Ingresso: visitação com hora agendada pelo site/app Eventim ou na bilheteria do CCBB, entrada gratuita.

dica_cultural_exposicao_MAM_fotografias

Exposição Clube de Colecionadores de Fotografia do MAM – 20 anos
Em um momento de atenção à institucionalização do meio fotográfico e período em que a fotografia brasileira ganhava destaque no cenário internacional, nascia o Clube de Colecionadores de Fotografia do Museu de Arte de São Paulo no ano 2000. O MAM apresenta obras de 107 artistas em exposição inédita, com criações de nomes como Adriana Varejão, Berna Reale, Cláudia Andujar, Fernando Lemos, Nuno Ramos, Mário Cravo Neto, Miguel Rio Branco e Regina Silveira.
Quando: 21 de mar. a 17 mai., terça a domingo, 10h às 17h30.
Onde: Museu de Arte Moderna de São Paulo.
Ingresso: R$ 10,00. Gratuidade aos sábados. Meia-entrada para estudantes e professores, mediante identificação.

dica_cultural_exposicao_da_vinci.jpeg

Exposição Leonardo Da Vinci – 500 anos de um gênio
Uma experiência imersiva, que possibilitará ao visitante conhecer a vida e o legado de Da Vinci por meio de uma exclusiva galeria com projeções, capaz de promover uma experiência interativa inédita no país.
Quando: até 31 de maio, terças a domingos, 9h às 19h.
Onde: MIS Experience, Rua Vladimir Herzog, 75, Água Branca.
Ingresso: gratuito às terças; quartas a sextas | R$35 (inteira); sábados, domingos e feriados | R$45 (inteira). Meia-entrada sujeita a disponibilidade por sessão e descontos para acima de 2 ingressos.

Contribua com a construção desta página com novas dicas, mande a sua para: antonio.paula@saoluis.org