Estrutura

Nova sede do Colégio São Luís

Vizinha ao Parque do Ibirapuera, ao Museu de Arte Contemporânea e ao Instituto Biológico, com espaços verdes e arborizados, a nova sede na Av. Dr. Dante Pazzanese tem seu projeto integrado com o cenário arquitetônico e paisagístico da região. São mais de 15 mil m² de área e aproximadamente 27.800 m² de área construída, no pulmão verde de São Paulo.

A arquitetura da nova sede está a serviço do projeto pedagógico. Tudo foi pensado para favorecer a realização de um trabalho que revele, de forma mais explícita, a nossa identidade, qualifique o ensino e a aprendizagem e seja aderente aos tempos atuais.

Horizontalização e integração dos ambientes


As premissas consideradas na concepção do prédio são: horizontalidade, transparência e integração visual dos ambientes, incentivo à aprendizagem individual e em grupos, amplitude das salas de aula, diversidade e flexibilidade dos espaços de aprendizagem, valorização do verde e do natural, sustentabilidade, conforto acústico e térmico.

Diversidade de tempos, espaços e recursos de aprendizagem


A biblioteca tem seu conceito e uso ampliados. É um espaço de pesquisa, estudo individual e coletivo, mas também é um local para leitura recreativa, sessões culturais e aulas. Intencionalmente localizada no eixo do prédio, a biblioteca da nova sede é um convite para os estudantes fazerem da vida escolar uma verdadeira jornada e busca de conhecimento.

Recursos de ponta e espaços integrados


Salas de aula mais amplas e com uma configuração diferenciada, aumentando assim a área por estudante. Espaços planejados de tal maneira que paredes, mobiliário e recursos tecnológicos favoreçam a participação ativa e autônoma dos estudantes. Há um conjunto de ambientes diferenciados para a realização de atividades pedagógicas fora da sala de referência, como biblioteca, laboratórios, sala maker, salas multiuso etc., totalizando 90 espaços educativos.

Ambientes privilegiados para a Educação Infantil


Na Educação Infantil as salas têm um formato pentagonal e cada parede pode ter uma função específica, seja armazenar materiais, servir de lousa ou mural. As salas são voltadas para um pátio externo com área verde, horta, parede de escalada, jatos d’água no piso, banco de areia e outras estruturas dedicadas a incentivar o desenvolvimento psicomotor e social infantil. Espaços integrados às salas da Educação Infantil favorecem a aprendizagem lúdica e a representação da realidade por meio da brincadeira.

Aprendizagem significativa


Nos Ensinos Fundamental e Médio as paredes das salas são flexíveis, com divisórias móveis que se adequam às necessidades da aula, para momentos em que o professor leciona ou para diversas outras formas, como células de aprendizado espalhadas pelo espaço. A tradicional lousa é substituída por paredes “escrevíveis”, espaço para uso de professores e estudantes registrarem o percurso de ensino e aprendizagem.

Simplicidade para inspirar leveza e elevação espiritual


A capela fica na área externa da escola, tem iluminação natural e interação com o bosque no entorno. Assim como em outras igrejas jesuítas no País, a simplicidade é a principal característica. O templo foi projetado em nave única e buscando sobriedade. Tem capacidade para 200 pessoas.

Complexo Esportivo


As atividades físicas sempre tiveram a atenção dos jesuítas. Destacado da estrutura principal e rodeado pelo bosque, o complexo esportivo conta com quadras cobertas e descobertas, piscina semiolímpica e pista de atletismo, salas multiuso para outras atividades esportivas e artísticas.

Auditório


O auditório tem capacidade para 449 pessoas e é equipado com estrutura tecnológica de última geração. O desenho desse espaço prevê uma dupla funcionalidade: a utilização interna como teatro e a externa com o palco que se abre também para a área do pátio, que permite apresentações para um grupo maior de pessoas.

Veja como foi a obra da nova sede do CSL, ao lado do Parque do Ibirapuera