Setor auxiliará as famílias e os estudantes que querem estudar no exterior

Em 2018, mais de 364 mil brasileiros deixaram o País para estudar fora, um crescimento de mais de 20% em relação ao ano anterior. Os dados da Belta (Associação de Agências de Intercâmbio do Brasil), em recente pesquisa, mostram que, além dos tradicionais cursos de idiomas e intercâmbio, houve um crescimento na procura por cursos de graduação no exterior.

Nos últimos anos, o Colégio São Luís tem acompanhado essa tendência e o interesse de seus alunos em estudar fora do Brasil. Os altos custos das universidades privadas do País, a oportunidade de adquirir experiência internacional e, consequentemente, a ampliação de oportunidades no mercado de trabalho são os principais motivos que levam os pais e os jovens a pensarem em cursos universitários no exterior.

“Quando se faz o processo de admissão nas universidades estrangeiras, é necessário um counselor, profissional responsável por assinar e validar as documentações exigidas […]”

Prof.º João Rodrigo Lima Agildo

Atento a essa realidade, o CSL acaba de lançar seu Departamento Internacional, com objetivo de auxiliar as famílias e os estudantes que pretendem estudar no exterior. Segundo o Prof.º João Rodrigo Lima Agildo, Coordenador da Área de Língua Inglesa e Counselor do Colégio São Luís, o departamento dará suporte total para o processo de admissão em instituições internacionais. “Quando se faz o processo de admissão nas universidades estrangeiras, é necessário um counselor, profissional responsável por assinar e validar as documentações exigidas, como histórico escolar e cartas de recomendação”, afirma.

O educador explica que o processo de admissão no exterior, principalmente nos EUA (Estados Unidos), é bem abrangente. “Diferente do Brasil, em que temos o vestibular e, caso aprovado, já se está admitido no Ensino Superior, nas universidades internacionais esse é um processo muito mais extenso, que envolve os cursos extracurriculares, a análise dos históricos escolares, os testes padrões SAT (Scholastic Assessment Test) e ACT (American College Testing). Então, cada universidade pede uma coisa diferente e o counselor ajuda na preparação da documentação ao longo desse processo”, conta.

João Rodrigo esclarece o conceito de best fit, que relaciona a universidade mais adequada ao perfil de cada aluno. Nesse processo, é necessário fazer o school profile, que revela o perfil da escola para as universidades estrangeiras. “O school profile é um documento que apresenta para as universidades quem é o Colégio São Luís em termos acadêmicos, de missão e de valores. Essa documentação é chancelada pelo counselor e é importante para o processo de aplicação em instituições fora do país”, ressalta Agildo.

Ilustracao_16-2O Coordenador da Área de Língua Inglesa acredita que, nos próximos anos, a procura por estudar no exterior continuará a crescer. “No Colégio São Luís, esse fenômeno crescerá muito, pois os pais estão enxergando a graduação no exterior como uma possibilidade de abrir portas para o mundo. Então, é conviver com gente do mundo inteiro, é entender um pouco mais da cultura internacional. Além disso, as universidades americanas e canadenses oferecem a possibilidade de o aluno fazer uma graduação em duas áreas distintas ao mesmo tempo. Por exemplo, o principal curso é Engenharia, mas o aluno ama dança, então pode-se fazer um minor em dança, uma graduação secundária em outra área de interesse.  O aluno sai, então, com duplo diploma em duas áreas totalmente diferentes”, conta.

No dia 16 de abril, o Colégio São Luís apresentou seu Departamento Internacional para as famílias dos alunos do Ensino Médio (veja galeria de fotos). Além deles, os pais dos estudantes do 9.º ano do Ensino Fundamental II também foram convidados para o lançamento. Segundo o Prof.º Agildo, no exterior, o processo de admissão para as universidades começa desde cedo e, por isso, é importante envolver as famílias dessa série. “Em outros países, os alunos a partir do 9.º já iniciam seu plano de carreira, que será desenvolvido ao longo dos quatro anos seguintes para que se tenha um currículo forte e se destaque no processo de aplicação. E o que é um currículo forte? É um currículo que tem atividades extracurriculares; é um currículo que mostre quem é o aluno e por que aquela universidade é boa para ele; como ele se vê naquela universidade, etc.”, explica.

Agildo conta que, no ano passado, a Universidade da Califórnia, em Berkeley, uma das mais prestigiadas instituições norte-americanas, recebeu quase 90 mil aplicações. “Nesse cenário, como o aluno vai se destacar? Primeira coisa: academicamente, para entrar na universidade de ponta você precisa ser ponta. Depois, você precisa mostrar todo o lado de cursos extracurriculares e de serviço social e, em tudo isso, o Colégio São Luís agrega muito pelas possibilidades oferecidas”, afirma.

Com o lançamento do Departamento Internacional, o Colégio São Luís continua atuando na melhor formação de seus alunos e dando suporte para suas escolhas, sejam elas prestando o tradicional vestibular ou conseguindo a melhor faculdade no exterior.

CONFIRA ALGUMAS DICAS PARA ESTUDAR NO EXTERIOR

Estudo no CSL e quero estudar no exterior, o que faço?
O primeiro passo é procurar o Departamento Internacional do Colégio São Luís e marcar um horário para conversar com o Counselor, Prof.º João Agildo, que explicará os detalhes sobre o processo de aplicação no exterior.

Contato
E-mail: joao.agildo@saoluis.org
Tels.: +55 11 3138-9664

Para estudar no exterior, quais os documentos básicos necessários?
Exames Internacionais, como SAT (Scholastic Assessment Test), ACT (American College Testing).
Certificado de proficiência na língua (TOEFL ou IELTS) e, dependendo da universidade, há exigência de pontuação mínima.

Quais países oferecem as melhoras condições para estudar?
Estados Unidos, Canadá, Reino Unido, Portugal e países da União Europeia.
Atualmente, há procura considerável pela Universidade de Lisboa e pela Universidade Nova de Lisboa, referência em Business na Europa, em que o curso é ministrado todo em inglês. As duas instituições portuguesas aceitam a pontuação do ENEM (Exame Nacional do Ensino Médio).

O que deve ser levado em consideração na hora de estudar fora do Brasil?
A trajetória do aluno, a performance acadêmica e os cursos extracurriculares são analisados pelas instituições internacionais.

Como se preparar financeiramente para estudar no exterior?
Uma questão importante é o planejamento financeiro da família, que deve estar preparada para dar o suporte necessário ao estudante. É importante planejar todos os custos dos estudos, como o pagamento da mensalidade (anual) e, geralmente, dividida em duas vezes. Dependendo da universidade, os valores variam entre 40 e 80 mil dólares (incluindo moradia e alimentação). Além disso, é necessário pensar no deslocamento do/a seu/sua filho/a ao longo do ano e as visitas à família e/ou vice-versa.

Quais sites você indicaria para os alunos pesquisarem sobre o assunto?
Para estudar para os exames ACT/SAT você pode usar o Khanan Academy (www.khanacademy.org).
Para conferir o mapa das instituições americanas e canadenses, a sugestão  é o site do www.collegeboard.org.
Além desses dois sites, é sempre importante acompanhar as revistas que divulgam ranking das universidades americanas.